domingo, 30 de novembro de 2008



[Natasha Shaloshvili]

- Posso te contar um segredo?
- Uhum.
- Encontrei alguém que me faz sentir azul por dentro.





[Natasha Shaloshvili]


- É quem eu acho que é?
- Cada coisa no seu tempo, doce.

[Foto: Aaron Goodman]

- Será que existe isso mesmo?  Alguém fazer o que gosta?
- Hum... acho que você não quer saber o que acabou de perguntar.
- O que eu quero saber?
- O motivo por que as pessoas acham que gostam do que fazem.

sábado, 29 de novembro de 2008


[viagem]


-  Sabe aquelas semanas que foram só alguns dias, mas que valeram para você como se fossem uma rotina nova?
- Uhum.  Agora voltar para casa assusta?
- Não, mas voltar para quem eu era...

domingo, 23 de novembro de 2008


- Então você vai viajar? Como estão as malas?
- Vazias, por puro desleixo.
- E você?
- Vazia, por puro desleixo.


- O negócio é que os sonhos são meio traiçoeiros, nunca acontecem, na realidade.
- É, mas às vezes eu gosto de acreditar que a minha realidade só é real naquele momentinho em eu estou tendo o meu sonho.

A queda de Denis que não machuca porque ele sabe como cair


Denis Darzacq  me disse, meio enervado, uma vez, "Na França alguém poderia cair do céu e ninguém na rua se importaria." e eu concordei com a minha melhor expressão de revolta com uma sociedade tão desinteressada pelo que realmente interessa, mas, secretamente, eu queria entender por que importava tanto que as pessoas se importassem.




o irmão menos querido nunca se conforma com meio biscoito



- Todo mundo pega o meio de transporte mais rápido, almoça em fast-foods, resolve os problemas familiares pelo telefone... tudo para economizar tempo.  
- Tempo... para chegar em casa e ter tempo de perder tempo.



o irmão mais querido não sabe o que fazer com o biscoito inteiro
[então come só porque é a coisa mais óbvia a se fazer]

[][][][] / "Sigur ros - Gong" / Eric Lerner from Eric Lerner on Vimeo.


quinta-feira, 20 de novembro de 2008

The L word is such a pretty illusion.

[Concentre-se alguns segundos no ponto preto do centro.]

[as cores à volta do ponto do centro começam a desaparecer.]



- Told you, once you find your point, everything else disappears.

- ...or just seem to disappear, and come back later on.



The L word is such a pretty illusion.


- Yeah, life is pointless.
- No, it isn't.  The problem is that the points are only inside your mind.


Botando a conversa em dia com Alberto Caeiro 


- Então o menino Jesus fugiu do céu para morar na sua casa?
- Uhum.  Se você quiser a gente senta num bar e eu conto a história toda. Você nem precisa acreditar, mas ela é tão verdadeira quanto tudo que os filósofos pensam e as religiões ensinam.


[Quando não é bom quando "agora" vale para sempre]


- Tão pouco para dizer, e tanto tempo.

- Ahm... Não sei o que dizer, agora.  





A ir por aí...

quarta-feira, 19 de novembro de 2008


You only live twice,
Or so it seems.
One life for yourself,
And one for your dreams.




- Por que você tá tentando apagar o fogo com gasolina?
- Ahm, parece estúpido... mas achei que estivesse ajudando.


Arrepio



- Ai, que droga, eu tava me sentindo tão bem... veio uma frase mal-intencionada e me destrinchou.
- É que quanto mais aquecidos estamos, mais sentimos o frio, quando ele chega.






- Por que você acha que os meus erros são mais graves do que os seus?
- Porque eu estou julgando.  E a imparcialidade sempre acaba me machucando...


segunda-feira, 17 de novembro de 2008



- Não, querida, você não precisa ter medo do escuro... Essas histórinhas só servem para aumentar o mistério, mas não vai acontecer nada de ruim para você.

- Ahm, entendi.     ...então deve ser por isso que as pessoas têm medo da morte, né?  porque elas acreditam nas historinhas que só servem para aumentar o mistério.

Emo Philips
- Quando eu era criança, rezava todas as noites pedindo uma bicicleta.
-Mas... acho que não funciona bem assim.
-É, foi o que eu descobri.  Então roubei uma bicicleta e agora rezo todas as noites por perdão.

terça-feira, 11 de novembro de 2008



[Foto: Carrie Sandoval]

- Queria que você não superexigisse de mim. Eu também acabei de chegar, e as coisas já eram assim há tempos... Como você queria que eu entendesse isso tudo?

- É que você não pode me levar a mal... essas perguntas existem desde que eu existo e sempre vão existir.  Mas só você pode dizer qual é a resposta que o seu contexto te dá para elas.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008


[photo: Martin Kovalik]

- My love wears forbidden colors.
- How come?
- That's just my guess, they're a secret for me as well.


[foto: Alena]


- Virei para o lado e não vi mais ninguém. É que eu tenho uma multidão em mim que corre para todos os lados achando que sabe o que deve fazer, e sempre se perdendo.

- Mas então você não está sozinha...

- Estou sim.  Eu posso ter um microcosmos dentro de mim, mas ele é tão solitário quanto qualquer outro conjunto de muitas coisas.


Quanta pretensão...


- Como assim você foi uma pessoa terrível ontem?

- Ai, sabe aquelas viradas que algumas histórias têm em que você pensa, quando ouve, vê ou lê:  "nossa, como isso foi forçado... tá na cara que esse personagem nunca faria isso.  O autor só escreveu assim para acontecer essa outra coisa boa na frente"

- Você está em que parte, agora?  Já aconteceu a "alguma coisa boa na frente"?

- Ahm... Não sei, acho que não.

- Então é melhor não tentar entender o autor ainda... 


sábado, 8 de novembro de 2008




- Tenho alguns segredos guardados bastante parecidos com a estupidez.
- Por que você perdeu a esperança no diálogo?
- É que é uma pena, mas eu acho que não vai funcionar.  Um diálogo só funciona se as duas partes estiverem dispostas a mudar.


- E o que você acha da esperança?
- Acho que, se você acredita que amanhã vai ser melhor, dá para viver bem melhor o dia de hoje.


sexta-feira, 7 de novembro de 2008


- Congrats, boy!
- Oh, thanks!  In dreams we trust.


terça-feira, 4 de novembro de 2008

quem foi que mexeu nas minhas correntes?


- Adoro ir ao cinema!
- Eu também.
- Pelo menos lá a gente já entra sabendo que as verdades são inventadas.


segunda-feira, 3 de novembro de 2008


[Foto: Félix Berguins.  Cinelândia no dia 31 de outubro.]

- A revolução não é minha namorada...
- ...mas sempre que ela quer vocês se encontram, né?

[Foto: Alisson Brady]

- A revolução não é sua namorada?
- Não, ela me sufoca, me prende, me machuca.
- ...e você gosta.


[Foto:suicidegirls.com] 
- A revolução não é minha namorada...
- ...mas é só e sempre com ela que você quer ficar.