terça-feira, 18 de setembro de 2012

Eu a chamo Eu.
Euclícia, no completo;
Eu, quando é em mim.

Ela, no então, diz:
Mas assim sou eu-; incompleta,
Eu e um traço, eu e um soluço.
Eu-; que diz bem-, mas diz mais nada.

Mais nada, penso eu.
deve ser mesmo isto, o Bem.

E é mesmo isto que, não sempre, mas também,
às vezes somos: eu, eu, e mais nada.

11 comentários:

Anônimo disse...

Intransitiva,
é pena q assim o seja.
Delicada e adorável,
senão apenas na superfície,
ontem pareceu que até um olhar te arranharia.

Tente um sorriso:
não queime as pontes,
desconfie do adestramento corporal,
perceba os sinais.

Na casca de limão disse...

jacaré é lento.

mais sinais, talvez?

caso grave de múltipla personalidade disse...

eu como sagitariana sempre quero queimar tudo (até a última ponta)!

Anônimo disse...

É mesmo pena. When i'm with vou, i have fun. Best Coast. Ouve lá no youtube. E eu, sou um palhação.

Na casca de limão disse...

na verdade, o "queimar" foi quase imediatamente promovido a "ser" - o que os astros pronunciariam sobre mudança ontológica assim, eu me pergunto.

Anônimo disse...

Vi o que vi ou o que quis?
Vc. viu tb.?

Anônimo disse...

Algo muda sob a casca?
Eclodirá em beijo ou mais silêncio?

É impossível dar mais um passo sem saber,
E sem errar.

Uma semana é tempo demais para deduzir.
Mostra-me mais!

Vi o que quis ser mostrado,
e se esconde sob reputação,
mas escapa con/difuso pelos poros.

Na casca de limão disse...

eita, não digo de outro jeito pq não sei outro melhor:

jacaré-anônimo viajou.

a sua conversa é um tanto imaginada, desculpe aí a parte do auê que me couber.

Anônimo disse...

Pra quê perdão se não há surpresa?

É difícil a vida sem imaginação, viu?
Mais difícil ainda um bom auê toda hora.

Bom mesmo é ser jacaré, toda lágrima é quase de crocodilo! Por isso, vou nadar por aí.

Anônimo disse...

Crise criativa?

Tristes tempos em que rouxinol não canta e jacaré doidão cisma de arrulhar.

Eu continuo zurrando...
Crocitem, fiéis leitores!!

fernanda disse...

HAHAHAH

sei lá, ia dizer que no meu caso o queimar = ser, sempre, mas...

o papo de jacaré foi bem mais engraçado...

vê se fala por favor a minha língua