quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Adequação


- Às vezes eu queria conseguir me aproximar das pessoas.

- Às vezes é melhor assim. Se você conseguisse ser do jeito como várias pessoas já são, veria o mundo exatamente como elas;  e quando a prioridade é tentar se adequar é mais difícil se entender.

- É, mas às vezes eu me convenço de que isso é só uma desculpa. Às vezes eu quero um caco de vidro encharcado de leptospirose no meu pé descalço no meio da enchente.  Lembra?  "A certeza é sempre mais confortável do que a dúvida."



Um comentário:

Phil-between disse...

Aí está o famigerado paradoxo dos mundos. Cultivar a solidão, a extensão universal de si, e viver de chagas tateando aquilo que só seus sentidos permitiram ou dialogar para consolar o ser e unilateralizar as visões múltiplas?
Não é à toa que Fernando Pessoa,o mestre destas guerras, se auto intitulava um "neurastênico" (em um tom agourento,digamos)