domingo, 7 de dezembro de 2008

IV
A vida sem sensações de quem se perde nos excessos



- Mas que coisa estranha essa de que você precisa ir procurar no outro aquilo que você mesmo é...

- É, para isso eu só tenho um palpite: a gente não vê o simples porque presta atenção demais na sombra que a borracha esqueceu de apagar do desenho..


Um comentário:

Phil-between disse...

Talvez o problema não esteja na sombra,mas no preciosismo de seu contorno, não? Ao supormos que a sombra consiste naqueles termos,naquela linha-corrente, matamos o que há dentro daquele negrume acobertado que borracha alguma percorre. Algumas vezes a sombra resiste a ela mesma,parece...